Transtorno alimentar: O que é?

A necessidade de entendimento sobre os transtornos alimentares atualmente é uma demanda crescente na clínica, devido ao aumento dos casos e também da carência de informações.

O que são os transtornos alimentares?

Os transtornos alimentares são definidos pela psiquiatria como uma perturbação no comportamento alimentar e nutricional que implica enormemente na saúde física e mental. A absorção inadequada de alimentos podem ser por restrição ou compulsão. Atualmente, o manual de psiquiatria (DSM) descreve um total de 08 tipos de transtornos alimentares que são colocados em três categorias principais: anorexia nervosa, bulimia e de compulsão alimentar, estes são relacionados fortemente com a imagem corporal que se tem si.

 A anorexia é definida como uma ingestão reduzida de alimentos incompatíveis com a idade, peso e gênero, seguida pelo pavor de engordar mesmo estando muito abaixo do peso. Já na bulimia é presente esta mesma preocupação, porém não tem a perda de peso acentuada como na anorexia. A aflição relacionada com o peso, diferentemente, também é  acompanhada por episódios frequentes de compulsão alimentar e purgativos, através do uso de diuréticos, vômitos, remédios,  exercícios físicos intensos, entre outros. 

Em relação a compulsão alimentar, ela não é apenas comer muito, mas sim caracterizada pela grande ingestão de alimentos por um curto espaço de tempo, isto é subjetivo, já que cada pessoa tem seu próprio limite. Esse cenário é acompanhado por uma falta de controle e não reconhecimento de si no momento da ingestão. Esse quadro deve ocorrer em média uma vez na semana durante 3 meses. Vale ressaltar, que as pessoas com esses sintomas não necessariamente são gordas ou obesas, a obesidade não é considerada um transtorno alimentar e nem todas as pessoas com obesidade têm compulsão alimentar.

Cultura e transtornos alimentares

A cultura tem um papel relevante a respeito dos padrões de corpos, dada a incidência predominante de anorexia e bulimia entre mulheres jovens e em países industrializados. Nesse contexto, a sociedade enxerga a perda de peso, principalmente para as mulheres como um sucesso e os corpos magros como uma imposição para ser considerada bonita e com êxito na vida. O mal estar contemporâneo é articulado com a época que vivemos, logo, tais imperativos produzem também doenças e sofrimentos mentais.

É importante perceber como cada pessoa vai experimentar essas coerções sociais. A análise ou psicoterapia vai trabalhar nesse sentido, de entender que lugar esses sintomas contemporâneos ocupam para na vida da pessoa, não existindo uma regra para todas as(os) sujeitas(os). O tratamento será realizado através da escuta qualificada, afim de enfraquecer esses comportamentos para uma melhor qualidade de vida.

Atualizado em: 01/08/2022 na categoria: Transtornos