Relacionamentos Tóxicos: Como identificar?

Quem nunca passou por relacionamentos tóxicos, não é mesmo? Mas você sabe identificá-lo? Confira o texto abaixo para entender melhor sobre o tema:

O que é Relacionamento tóxico?

Alguns pesquisadores diferem o relacionamento tóxico do relacionamento abusivo, outros os colocam como sinônimos. Neste texto iremos fazer a distinção entre ambos. O relacionamento tóxico é quando existe adoecimento na convivência. Já o relacionamento abusivo é uma situação grave, quando os níveis de toxidade são mais altos, bem como, há ligação de poder de uma pessoa sobre outra, como nos casos de controle, ciúmes excessivos e violências psicológica, física ou patrimonial. Todo relacionamento abusivo é tóxico, mas nem toda relação tóxica é abusiva.

Como identificar?

O relacionamento tóxico pode ser identificado quando não há vontade de estabelecer um vínculo com a outra pessoa, e a felicidade também não é mais presente. A toxidade pode-se apresentar em qualquer tipo de relacionamento, como nas amizades, família, no ambiente de trabalho ou com o par romântico. Apesar de não existir abuso, esse modelo de convivência é acompanhado por momentos de tristeza, desânimo, cansaço e baixa autoestima. Muitas vezes, há problemas na comunicação interpessoal e as(os) sujeitas(os) se magoam, da mesma forma, existem dificuldades em separar do que é de um, com o que é do outro, mutuamente.

Frequentemente, perde-se a espontaneidade individual e a pessoa se anula para atender as vontades do outro. No ambiente de trabalho ou no ambiente escolar, a toxidade está presente em ironias ou piadas sobre a personalidade ou físico do(a) sujeito(a), bullying, ou falas sexistas e racistas. Essas relações são mais desagradáveis do que agradáveis, na qual é possível ser seguidas por competividade e críticas constantes.

Como se livrar dessa situação?

Primeiramente é necessário identificar o problema. Como você se sente com essa pessoa ou nesse ambiente? Há vergonha, culpa ou medo? Depois de identificado, é importante traçar limites com aquilo que é aceitável para você. Além disso, a busca pelo autoconhecimento, através da reflexão sobre seus pontos fortes e fracos, qualidades e defeitos, reconhecendo sua história, e a prática da auto compaixão são chaves para restabelecer a autoestima e a saúde mental.

Buscar ajuda de amigos, familiares ou pessoas de sua confiança é relevante para ter uma rede de apoio. Se for necessário, cortar essa relação também é válido. Geralmente é fundamental procurar suporte psicológico, pois essas relações são capazes de deixar marcas ou traumas, por essa razão, faz-se necessário ressignificar e elaborar tais experiências.

Atualizado em: 31/05/2022 na categoria: Afetividade